Procedimentos ambulatoriais



Vídeo endoscopia naso-sinusal


Vídeo endoscopia naso-sinusal


A vídeo endoscopia nasal, também conhecida como nasofibroscopia é um procedimento realizado para a visualização da cavidade nasal. É utilizada uma fina fibra flexível ou rígida inserida na cavidade nasal associada a uma fonte de luz e sistema de vídeo. Pode ser realizada em adultos e crianças em ambiente ambulatorial, sem a necessidade de restrição das atividades após a mesma.

As principais indicações são:

Rinossinusites

Rinites

Sangramentos

Obstrução nasal

Roncos


Vídeo faringo-laringoscopia


A vídeo faringo-laringoscopia ou vídeo endoscopia laríngea é um procedimento realizado para a visualização da cavidade oral e da laringe. É realizada utilizando-se uma ótica rígida pela cavidade oral ou através de uma fina fibra flexível posicionada na cavidade nasal associada a uma fonte de luz e sistema de vídeo. Pode ser realizada em adultos e crianças em ambiente ambulatorial, sem a necessidade de restrição das atividades após a mesma.

As principais indicações são:

Rouquidão

Roncos

Tosse

Corpo estranho na garganta

Tumores em laringe



Manobras para tontura (VPPB)


Manobras para tontura (VPPB)


DefiniçãoA vertigem posicional paroxística benigna (VPPB) é um distúrbio vestibular periférico que se manifesta como episódios curtos e súbitos de vertigem, provocados por movimentos específicos de cabeça. A VPPB é uma das causas mais comuns de vertigem. Ela é frequentemente autolimitada, mas pode se tornar crônica e recidivante com efeitos consideráveis sobre a qualidade de vida do paciente. A maioria dos casos resulta da migração de partículas otolíticas de endolinfa flutuando livremente (consideradas otocônios deslocados da membrana otolítica utricular) para os canais semicirculares posteriores (mais comumente), horizontais (menos comumente) ou anteriores (raramente), tornando-os sensíveis à gravidade.[1]


Injeção intratimpânica